sexta-feira, 21 de abril de 2017

Bom fim-de-semana - 5


Imagem
Ainda está muito presente a ideia de que uma boa vida, com significado, tem que ser uma vida cheia de eventos, compromissos, posses, enfim, cheia e movimentada. 

Sinceramente não concordo e tenho para mim que uma vida para ter significado tem de estar alinhada com quem nós genuinamente somos. Para uns será muito rebuliço, muito convívio, muitas coisas. Para outros será maior recolhimento, maior tranquilidade, menos coisas.

Hoje que o fim-de-semana já está a bater à porta deixo-te esta pequena reflexão de Brian Gardner, no blog No Sidebar,  It’s Ok to Be Happy with a Quiet Life.

Bom fim de semana, vive-o de forma a que tenha significado na tua vida, vive-o intencionalmente.




quinta-feira, 20 de abril de 2017

Mar me quer - Mia Couto


Mar me quer é um conto, um conto especial, cheio da magia indolente dos ritmos africanos de viver. Mia Couto não escreve, ele entrega-nos uma história através da melodia. É doce a sua escrita, é como uma brisa suave no nosso rosto quente. 

É cheio de nostalgia sem choro. Cheio de emoções que já não se exaltam. Calmas, é um conto que nos acalma e nos leva assim de mansinho.

Não custa ler, é como se Mia Couto estivesse a falar connosco. A sua escrita não revela qualquer esforço de composição frásica. É simples, simples. São usadas expressões que não existem no português escrito de Portugal, mas que me fizeram fechar os olhos de tão lindas e tão certeiramente aplicadas, retiram a carga negativa e carregam-na da aceitação de vida, tal como ela é.

Aqui ficam exemplos:

Já se antigamentara = já morrera
Minhas visitas são para lhe caçar um descuido na existência = apanhá-la desprevenida
Esse serviço de confeitar vestes = ser costureira

É mágico, Mar me quer....

Sinopse
(retirei da Wook)
Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 8º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada.

Um dia o padre Nunes me falou de Luarmina, seus brumosos passados. O pai era um grego, um desses pescadores que arrumou rede em costas de Moçambique, do lado de lá da baía de S. Vicente. Já se antigamentara há muito. A mãe morreu pouco tempo depois. Dizem que de desgosto. Não devido da viuvez, mas por causa da beleza da filha. Ao que parece, Luarmina endoidava os homens graúdos que abutreavam em redor da casa. A senhora maldizia a perfeição de sua filha. Diz-se que, enlouquecida, certa noite intentou de golpear o rosto de Luarmina. Só para a esfeiar e, assim, afastar os candidatos. 

Depois da morte da mãe, enviaram Luarmina para o lado de cá, para ela se amoldar na Missão, entregue a reza e crucifixo. Havia que arrumar a moça por fora, engomála por dentro. E foi assim que ela se dedicou a linhas, agulhas e dedais. Até se transferir para sua atual moradia, nos arredores de minha existência.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Gerir o tempo

Hoje vou deixar-te dois vídeos do youtube, do canal brasileiro Tamo Junto, que penso irão ajudar-te bastante se estiveres a iniciar ou a procurar melhorar a tua gestão do tempo.

São muito claros e objectivos. Dar-te-ão exercícios e sugestões muito importantes e explicar-te-ão os motivos porque determinados factores são tão importantes quando falamos de gestão de tempo.

Vale a pena assistires. Aqui fica a minha sugestão.


Como gerenciar melhor o tempo



~
Como planejar as tarefas do seu dia-a-dia


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Bom fim-de-semana - 4

Estamos em fim-de-semana prolongado. Não interessa o que vemos neste fim-de-semana, se uma celebração religiosa, se um momento de reflexão, se uma festa em família, se apenas um fim-de-semana de três dias.

O que verdadeiramente interessa é que tens estes três dias para viver. A minha sugestão para este fim-de-semana é:


atenta aos pormenores, dos momentos, das pessoas, das conversas, das coisas, do tempo
observa e aprecia
saboreia

Imagem

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Quem me dera ser onda - Manuel Rui

Quem me dera ser onda é uma novela deliciosa. Conta as peripécias de uma família angolana que, farta da mesma comida, resolve criar um porco no apartamento para poder usufruir da sua carne por altura do carnaval. E esse fica o nome do porco, Carnaval.

A história é por si só engraçada e mais se torna pela escrita de Manuel Rui. Toda a narrativa está escrita em "português angolano", lê-se como se estivéssemos a ouvir. Uma delícia! Os diálogos são alegres e cheios de ritmo, ritmo africano. 

Dou-vos um pequeno exemplo:

"A dona virou os olhos para o leitão. Magicava nessa duvida. Como era possível criar assim um porco num sétimo andar? Prédio tudo de gentes escriturária, secretária. Funcionários de ministérios. Um assessor popular, e até um seguras num carro com duas antenas, fora os militantes do Partido?

- Isto ainda vai dar uma maka com o Instituto de Habitação? "

É uma novela que se lê num instante e que nos anima num prazer gostoso de espreitarmos a cultura angolana e de "ouvirmos" a história do porco Carnaval.

Sinopse
(retirei na Wook)

Um romance delirantemente divertido e luminosamente redentor.
Angola, poucos anos depois da independência. Estamos mais precisamente em Luanda, em anos de esquemas de sobrevivência. Um pai de família desencanta um porco e leva-o para o seu apartamento, no sétimo andar de um prédio. Os filhos, Zeca e Ruca, apaixonam-se perdidamente pelo porquinho.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Não tenho tempo!

Quando ouvimos alguém dizer "não tenho tempo", o que realmente estamos a ouvir é "não consigo gerir o tempo que tenho". Na verdade todos temos tempo, não é? Temos todos as mesmas 24 horas diárias, os mesmos 7 dias por semanas, os mesmos 12 meses por ano. Então quando alguém diz que acha que não tem tempo, o que deveria fazer era parar e refletir sobre o que anda a fazer com o seu tempo.

Em primeiro lugar, querer fazer atividades que demoram previsivelmente 3 horas, em 1 hora não é realista, nem sensato e conduz à frustração e à incapacidade de concretizar o planeamento. Depois, querer fazer todas as atividades sem critério nem escolha, também só tem um resultado possível, o fracasso.
Imagem

Assim, a primeira ideia que temos que ter bem presente quando queremos gerir melhor o nosso tempo é que devemos consciencializarmo-nos do tempo que temos e selecionarmos as atividades que são, realisticamente, possíveis de concretizar. Mas afinal, o que é esta consciencialização do tempo?

Isto significa que para fazeres o tempo agir em teu benefício tens que:

- ser realista quanto às tuas necessidades de sono (não adianta quereres reduzir o teu tempo de sono para quereres ter mais tempo acordado, se depois não tens a energia e não consegues estar verdadeiramente ativo)

- analisares as tuas atividades fixas diárias e estabelecer o número de horas que te consomem e o horário em que têm de ser feitas (o dia pode ter 24 horas, mas dentro dessas dormes 8h, trabalhas 8h, terás mais tempo de deslocação, de higiene, de refeições, e outros afins. Assim as tuas 24 horas iniciais reduzem-se para, mais ou menos, 3 horas livres por dia, isto numa visão otimista! e mesmo essas só poderão ser usufruídas em consonância com o teu horário fixo. Não será, na maioria dos casos,  a meio da tarde)

- conhecer o teu próprio ritmo (se és um pessoa que a partir das 21h começa a ficar sonolenta e sem atividade, não adianta quereres pôr nesse horário atividades que exigem concentração ou criatividade)

- contar com imponderáveis (há sempre a possibilidade de acontecer algo inesperado, uma fila de carros, uma caixa de supermercado mais lenta, uma birra do filho, enfim...., tens que contar com isso se queres que a tua gestão de tempo seja verdadeiramente fiável e consistente. Deixa sempre um espaço livre entre as atividades, não sobrecarregues o teu horário) 

- ter um rumo (a gestão de tempo exige que saibas o que é importante para ti, qual o sentido em que queres agir, qual o resultado que procuras. A boa gestão de tempo é, sem dúvida, um exercício de escolhas e para que as tuas escolhas sejam bem direcionadas, tens que saber qual a estrada que queres seguir. Sem este conhecimento andarás à deriva e acabarás por não ter tempo pois perdê-lo-ás em distrações que pouco interesse têm para o destino que queres alcançar).

A partir do momento em que tomes consciência destes 5 fatores, a tua gestão de tempo será praticamente intuitiva e fluirá naturalmente. O tempo passará a ser teu aliado, deixarás de ter a sensação de que o tempo de aprisionada e limita.

Imagem

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Bom fim-de-semana - 3

Imagem

O minimalismo é um estilo de vida muito em voga mas ainda cercado de mitos e de alguma confusão sobre o seu verdadeiro significado. O minimalismo é, para mim, um caminho de saber viver e de viver consciente e no agora. O minimalismo é um acrescentar significado ao ato de viver.

O que te proponho para este fim-de-semana é que procures conhecer um pouco melhor esta forma de estar na vida. Deixo-te este post não por ser o melhor que já li, mas porque enumera de forma clara e sucinta as vantagens que podes retirar desta forma de vida. E sim, é verdade tudo o que aqui se diz. Posso garantir-te!