quinta-feira, 13 de julho de 2017

Uma casa na Irlanda de Maeve Binchy

Há muito tempo que não lia um livro deste tipo. São o que eu considero livros de família. São livros que nos trazem a história de uma família, que nos vão mostrando a forma como a dinâmica da família se desenrola ao longo do tempo.

Neste caso a história está mais focada em Ria e é através da sua história que as histórias da sua família e dos seus amigos serão narradas.

Não sei se podemos considerar um spoiler, acho que não, mas tem atenção porque se esperas uma história sobre as duas mulheres, a Ria e a Marylin, vais ficar desapontado. A Marylin aparece já a metade do livro passou. A história da Ria foi-nos contada e estamos no momento presente. É aí que a Marylin aparece. A história de Ria vamos vendo acontecer, a história da Marylin é-nos contada para percebermos o presente. São perspectivas diferentes.

Não obstante este pequeno pormenor, que verdadeiramente não tem nada a ver com o livro apenas com a publicidade à volta dele, o livro é muito, muito bom.

Maeve Binchy ganhou mais uma fã. Tem uma escrita muito clara, sem floreados, mas muito assertiva. A história é bem contada. Gostei particularmente da forma como intercala dois episódios grandes com outros pequenos que apenas servem para nos ir situando do que se passa paralelamente aos que nos está a contar. É como se fossem janelas muito breves para tomarmos conhecimento das sinuosas curvas da história. Por vezes um diálogo de três falas serve para nos inteirar de um facto, sem grandes demoras de descrição ou narração. Francamente, gostei desta opção da autora. Assim como gostei que a autora nos tivesse dado, através dessas janelas, a indicação de um acontecimento que não concretiza e que até ao fim não desvenda inteiramente. Aliás, nunca chega a desvendar, muito embora nos faça supor, através de outro acontecimento, a forma como se desvendaria. Muito bom!

A trama é também boa. Não muito densa, mas também não é totalmente clara. Vai sendo descoberta. Aos pouco vão sendo retirados os véus e vamos conhecendo mais e mais e mais. Maeve consegue manter o leitor interessado e sempre muito agarrado à história. Recomendo.


Sinopse
(retirei da Wook)

Ria e Marylin não se conhecem - vivem a milhares de quilómetros de distância, separadas pelo oceano Atlântico: um numa grande e acolhedora casa vitoriana em Tara Road, Dublin, a outra numa casa moderna em Nova Inglaterra. Seria difícil encontrar duas mulheres mais diferentes; a vida de Ria centra-se na sua família e nos seus amigos, enquanto a de Marylin conheceu muito sofrimento. Mas quando cada uma delas precisa de sair do ambiente que as rodeia, uma troca de casas parece ser a solução ideal. Juntamente com as casas emprestadas surgem os vizinhos e os amigos, os mexericos e as especulações quando Ria e Marylin trocam de casas durante o Verão.

Sem comentários:

Enviar um comentário